Eurocopa 2016: Da ameaça de terrorismo à festa dentro de campo | #OALANBRADO

Eurocopa 2016: Da ameaça de terrorismo à festa dentro de campo


Portugal é campeão da competição; é o primeiro título importante da seleção principal na história. Michael Regan / Getty

Dizer que a UEFA Euro 2016 foi emocionante do começo ao fim não é bem verdade. Ao contrário da última Copa do Mundo, em que as seleções protagonizaram grandes jogos e com grande número de gols, a Euro deste ano falhou no quesito grandes emoções. Partidas fracas marcaram a primeira fase do torneio. A grande surpresa, sem dúvida, durante toda a competição foi a Islândia, que conseguiu ir muito além do que era esperado e conquistou o carinho de fãs por todo o mundo. A próxima Eurocopa não terá sede fixa, em comemoração ao 60º aniversário da UEFA.

A competição ocorreu em um momento de grande tensão mundial por conta das ameaças frequentes de terrorismo. A luta contra o terror deixou franceses e organizadores de olhos abertos para garantir que a competição ocorresse sem maiores problemas. Essa preocupação é a que o Brasil terá também para a realização dos Jogos Olímpicos em agosto.

Durante a Eurocopa, os problemas de segurança foram relacionados por diversos fatores, que não o terrorismo. Briga entre torcedores, xenofobia e ataque a imprensa marcaram negativamente a competição. Como, por exemplo, o jogo entre Croácia e República Tcheca em que sinalizadores foram jogados em campo, que rendeu punição aos croatas. Outro exemplo negativo foram as confusões entre torcedores dentro e fora dos estádios. Logo no segundo dia de jogos, torcedores de Rússia e Inglaterra protagonizaram momentos vergonhosos. 

Ainda, profissionais de mídia sofreram na cobertura da competição. Repórteres da TV Bandeirantes e do Esporte Interativo relataram abusos e ataques violentos. Além disso, foi possível identificar a falta de preparo da polícia local para dar suporte nestes casos.

Ao mesmo tempo, em diversas partes do mundo, ataques deixaram as pessoas cada vez mais preocupadas. Atentados no aeroporto de Istambul, na Turquia, e em uma boate em Orlando, nos Estados Unidos, foram alguns deles. 

Outros dois grandes eventos dividiram as atenções no noticiário mundial. Na América, a realização da Copa America Centenario chamou a atenção de todo o mundo por dois motivos principais. Além de ser uma competição realizada nos Estados Unidos, o vexame cada vez mais frequente da Seleção Brasileira reforçou a ideia de falência do nosso futebol.


O outro motivo com certeza foi a surpreendente declaração do melhor jogador do mundo por colocar em dúvida sua participação nas próximas competições com a seleção. Messi, após o vice campeonato com a Argentina, deu essa declaração polêmica.

O plebiscito no Reino Unido para consulta da população sobre a permanência na União Europeia foi outro grande assunto discutido neste último mês. A votação que culminou na decisão da população de sair do bloco (a vitória do 'Brexit') ocorreu pouco antes da eliminação da Inglaterra na Eurocopa, que gerou muitas piadas aos ingleses, que nunca conquistaram o torneio. 

No fim das contas, França e Portugal chegaram a final. O que não é uma grande surpresa, afinal os franceses são os donos de casa e a seleção portuguesa conta com um dos maiores jogadores do futebol mundial, que é Cristiano Ronaldo. Mas para quem esperava que a decisão tivesse presença garantida da Alemanha decepcionou-se com o resultado. 



A atual campeã mundial não conquista a competição europeia desde 1996. O jogo da eliminação frente aos franceses mostrou uma Alemanha irreconhecível comparada a que venceu o Brasil há dois anos em resultado histórico. O jogo contra a França contou com erros alemães e o domínio dos donos de casa. 


Mas histórias bacanas marcaram a competição. A Islândia, com futebol com pouca expressão no cenário mundial, bateu grandes seleções e chegou longe na Eurocopa. Na sua primeira participação no torneio, a equipe chegou até as quartas de final. O feito fez com que os islandeses acumulassem admiradores em todo o mundo, pela sua história e batalha dentro de campo. 

Outra equipe que surpreendeu e fez um bom resultado na competição foi País de Gales que, assim como como a Islândia, fez a sua primeira participação e chegou à semifinal do torneio. Bale é a principal estrela do time. 

Com as atenções voltadas para o que acontece dentro de campo, a torcida então entrou no clima da competição. No Brasil, a Eurocopa foi transmitida na integra por Bandeirantes e pelo SporTV. A TV Globo transmitiu a fase final da competição e alguns jogos. Por parte da Band, alguns jogos conquistaram grande audiência, já que ela exibiu alguns em TV aberta.

Christian Hartmann / Reuters

Além disso, as imagens da festa na França mostraram que a competição tem objetivo de unir as pessoas em prol da alegria e comemoração. A Eurocopa, aos poucos, mostrou que é possível. Porque a torcida gosta de emoção dentro de campo. A torcida vibrando. As áreas espalhadas pelo país com torcedores assistindo aos jogos em telões dão esperança de que nem tudo está perdido.

A nossa torcida agora é que o Rio faça bem feito em agosto. 

Leia também


0 comentários:

Postar um comentário