Pular para o conteúdo principal

O torcedor símbolo do hexacampeonato corintiano


Quando uma conquista vai muito além das quatro linhas



Ser corintiano é acreditar mais do que se imagina. É ter consciência que haverá algo bom para acontecer, independentemente da fase que se esteja. Que não há fila no mundo que vai deixar desacreditar, afinal sempre terá um Basílio para fazer um gol chorado e acabar com o sofrimento. Que quando tudo parecer perdido, estará o Cássio lá para defender um chute que botaria tudo a perder. Ser corintiano vai além de ser ou não brasileiro. É ser Corinthians!

A conquista de 2015 do Campeonato Brasileiro tem bastante representatividade, assim como todas as outras. Premia o time mais batalhador, mais organizado, que tem grandes jogadores e que deu a volta por cima quando havia desconfiança, mas que conta com um técnico que já é o que mais conquistou títulos na história do clube. Não só isso, mas o maior e melhor treinador de todos que já passaram pela equipe alvinegra. Adenor Leonardo Bacchi, o Tite, merece um contrato vitalício com o clube. Ou melhor, para o bem geral da nação, tem que comandar a Seleção Brasileira (os torcedores do Corinthians talvez não apoiem isso, mas seria a solução para o time canarinho).

A campanha corintiana neste ano começou não tão bem. Eliminações e resultados ruins geraram um clima de tensão no time. O ano termina com um campeão brasileiro acima de todas as expectativas, com pontuação excelente, melhor em todos os critérios e com uma equipe unida, com Renato Augusto em grande fase, assim como Jadson e outros grandes nomes, como o supervalorizado Love. Em meio a tudo isso, alguns detalhes significativos chamam a atenção dessa conquista.

13 de setembro de 2015. Domingo de manhã na Arena Itaquera. O Corinthians enfrentou o Joinville. Malcom, Uendel e Vagner Love marcaram os gols da vitória do time paulista sobre os catarinenses. Com o resultado, o Timão abriu cinco pontos de vantagem na liderança e deixou o adversário em situação delicada na zona de rebaixamento. Um jogo a mais nesta conquista. Mas houve um detalhe especial. Algo que emocionou até mesmo os não corintianos, mas que mostra a força pela paixão a um clube. Que deixa claro que o futebol não é só um esporte. Vai além disso. Entre os 42.075 presentes no estádio, havia um especial. João Marcos Andrietta emocionou Tite. Emocionou os jogadores do Corinthians. Se tornou um símbolo de luta e superação. Portador de uma doença grave, acompanhou no estádio, de maca, a vitória do seu time. A imagem que circulou nas redes sociais reforça a nossa esperança de que as coisas valem a pena e é possível sempre acreditar.



No gol que selou a vitória, Tite comemorou apontando para onde estava o torcedor e sua família. Antes do jogo, Tite se encontrou com João e novamente se emocionou. O torcedor tem uma história incrível que vale ser lida.


João é mais um corintiano que mostra que a é muito importante para nós. Que a paixão pelo esporte nos faz sonhar e ir mais longe. Que não há barreiras que façam com quê deixemos de ir atrás dos nossos sonhos.

A conquista do hexacampeonato do time paulista tem outros detalhes que merecem destaques. O que mais representa tudo isso é o seu torcedor. O que lotou as arquibancadas e esteve junto em todos os momentos. Que acreditou no treinador e nos jogadores. O grito de “Vai Corinthians!” nunca esteve tão em evidência. Seja pela TV, pela rádio ou no estádio, o corintiano se mostra cada vez mais “louco”, e este sim, verdadeiramente, guerreiro.

Saiba mais


UOL ESPORTE:Como o torcedor com doença rara viveu sonho de ver Tite e Arena Corinthians. http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2015/09/14/como-o-torcedor-com-doenca-rara-viveu-sonho-de-ver-tite-e-arena-corinthians.htm

Comentários

Posts mais acessados

Fruto da mercantilização dos Jogos, mascotes são destaques

Uma Olimpíada é marcada por muitos símbolos. Desde que os Jogos conquistaram grande visibilidade mundial, foram instituídos algumas características em cada edição para justamente haver uma identificação única de cada disputa. Nas Olimpíadas, as mascotes são marcas registradas das edições. Adotada pela primeira vez em uma competição de Inverno (em Grenoble, na França, em 1968). Nos Jogos de Verão, o primeiro foi em 1972, nos Jogos de Munique. Em Copas do Mundo, o primeiro foi em 1966. na Inglaterra. A mascote mais lembrada das Olimpíadas, sem dúvida alguma, é o ursinho Mischa, que representou os Jogos de 1980, nas disputas em Moscou. Na cerimônia de encerramento, a imagem formada pelo público nas arquibancadas derramou uma lágrima da mascote, emocionando a todos e sendo marcada para sempre.   Para 2016, a mascote dos Jogos Olímpicos é Vinícius, que homenageia um dos grandes nomes brasileiros de todos os tempos, que é Vinícius de Moraes.  A mascote é inspirada na fauna brasi

7 Livros sobre Futebol no Google Play (4 deles, de graça!)

A tecnologia como parte da nossa vida é uma realidade. Mudamos nossos hábitos e adquirimos novos costumes. O principal deles referente aos nossos hobbies, como, por exemplo, ler . Há quem ainda prefira (e me incluo entre eles) ter o livro físico e guardá-lo como um troféu na estante (tenho alguns bem legais aqui), mas é bem verdade que os ebooks são bem mais práticos e, em alguns casos, seus preços saem mais em conta. As melhores frases do esporte — #OAlanbrado Para quem ainda não conhece os livros digitais (ou não teve a oportunidade de encontrar algo legal para ler), #OAlanbrado reúne uma seleção de livros baratos — e alguns de graça — sobre futebol que são extremamente interessantes e que podem ser encontrados no Google Play . Claro, existem muitos outros livros (e em outras lojas virtuais), mas é bom para, pelo menos, começar a leitura por estes bons títulos. A COPA COMO ELA É: A HISTÓRIA DE DEZ ANOS DE PREPARAÇÃO PARA A COPA DE 2014 Correspondente internac

Álbum de Figurinhas da Euro 2016 é lançado pela Panini

A poucos meses do início de mais um campeonato europeu de seleções, a Panini , em parceria com a UEFA , lança o álbum oficial da competição. A coleção traz todos os detalhes do torneio que será disputado na França e conta com todas as equipes participantes. São 680 figurinhas, distribuídas pelas 96 páginas, que contam história da competição, dos estádios e das 24 seleções participantes. A Panini é a líder mundial de produtos colecionáveis. Criada na Itália, a editora chega a muitos países sendo a responsável, inclusive, pelas principais coleções esportivas, como Copa do Mundo e torneios FIFA , Olimpíadas , e campeonatos nacionais, como o Brasileirão , além das revistas oficiais de clubes. A Euro 2016 será a décima a ter álbum lançado pela Panini . Em relação as últimas coleções, a de 2016 chega com algumas novidades. A primeira e mais evidente é a de número de participantes, que será disputada com 24 equipes (até a última edição, o número era 16). São dedicadas duas páginas