Pular para o conteúdo principal

Primeira Liga é resultado da insatisfação de clubes e torcedores

Nos últimos tempos, os escândalos envolvendo cartolas fizeram com que todos os problemas relacionadas as organizações, federações e politicagem fossem escancarados ao público. Décadas de má gestão resultaram em uma crise estrutural em alguns centros do futebol mundial, como, principalmente, no Brasil. Para o país do lado de baixo do Equador, o resultado disso foi vexames, a perda de credibilidade e a pior derrota em jogo eliminatório de Copa do Mundo (o 7 a 1 aplicado pela Alemanha no Mineirão). Em meio a tudo isso, o descontentamento dos torcedores e dos próprios clubes aumenta. Estamos diante do que parece ser uma revolução.

Não dá para ficar muito animado por isso. Afinal, os mesmos que organizam protestos e tudo mais, são os mesmos que diziam "amém" aos altos comandos da CBF e da televisão há pouco tempo. Mesmo assim, com todo o escândalo à mostra e o torcedor ainda mais em cima do que acontece, pode ser que saia algo legal.

Há alguns anos, o Bom Senso (movimento organizado por jogadores de futebol profissional no Brasil), cruzava os braços antes do início dos jogos do Campeonato Brasileiro a fim de reivindicar melhores condições aos jogadores do país, calendário justo, profissionalização e alguns outros pontos. Hoje, o movimento, que conta com os principais nomes do futebol brasileiro, já tem grande relevância e suas notas e opiniões tem destaque na grande mídia.



2016 marcou o início também da Primeira Liga (a chamada "Copa Rio/Sul/Minas"), reunindo 12 grandes clubes do futebol nacional. Mesmo sem o aval da CBF, os jogadores entraram em campo e fizeram sua estreia na temporada com um show de público e de futebol. Aos poucos, o torcedor vai criando um carinho pela competição. O sucesso na primeira rodada foi tanta, que a CBF chegou a voltar atrás "permitindo" a realização da competição, mas em caráter "amistoso". Como se a mesma tivesse moral para dar aval a alguma coisa. Os clubes que são donos de sua imagem. Dependendo dos resultados e aceitação, as próximas edições podem contar com mais equipes, e, assim, ser o primeiro passo para criar uma liga nacional e seguir o modelo Premier League, na Inglaterra, por exemplo.


Por estar no começo, é importante destacar que ainda que o torneio tem suas falhas. Os organizadores devem fortalecer a marca "PRIMEIRA LIGA". Na primeira rodada, a competição estreou sem nenhum patrocínio fechado. A emissora que transmite a competição (no caso, o SporTV, e mais adiante a TV Globo) evitam falar "Primeira Liga" (e sim, Copa Rio/Sul/Minas) - o que é um absurdo, pois os organizadores não fizeram questão que o nome correto da competição fosse falado (não que esteja errado, mas, neste caso, não falar "Primeira Liga" seria 'aceitar uma derrota', ou seja, não falam simplesmente por orgulho, ao contrário da Allianz Parque ou o time Red Bull Brasil, que também tem seus nomes 'mascarados' na transmissão, mas para não fazer "propaganda gratuita").


Não há site oficial da competição também. Ainda está no começo, mas é uma coisa a se pensar dar um tratamento especial também na internet. Por outro lado, nesta última semana, foi fechado o primeiro patrocínio (com a cervejaria Kaiser, de propriedade da Heineken). Aos poucos, as coisas vão sendo postas no lugar.

O que resta é aguardar. Torcemos pelo sucesso da Primeira Liga e que o futebol (e, principalmente, o torcedor) colha bons frutos, e que, assim, seja fortalecido o futebol nacional e evitar outros sete a um.

Saiba mais

O Legado da Copa: As declarações pífias do ministro 

Comentários

Posts mais acessados

Fruto da mercantilização dos Jogos, mascotes são destaques

Uma Olimpíada é marcada por muitos símbolos. Desde que os Jogos conquistaram grande visibilidade mundial, foram instituídos algumas características em cada edição para justamente haver uma identificação única de cada disputa. Nas Olimpíadas, as mascotes são marcas registradas das edições. Adotada pela primeira vez em uma competição de Inverno (em Grenoble, na França, em 1968). Nos Jogos de Verão, o primeiro foi em 1972, nos Jogos de Munique. Em Copas do Mundo, o primeiro foi em 1966. na Inglaterra. A mascote mais lembrada das Olimpíadas, sem dúvida alguma, é o ursinho Mischa, que representou os Jogos de 1980, nas disputas em Moscou. Na cerimônia de encerramento, a imagem formada pelo público nas arquibancadas derramou uma lágrima da mascote, emocionando a todos e sendo marcada para sempre.   Para 2016, a mascote dos Jogos Olímpicos é Vinícius, que homenageia um dos grandes nomes brasileiros de todos os tempos, que é Vinícius de Moraes.  A mascote é inspirada na fauna brasi

7 Livros sobre Futebol no Google Play (4 deles, de graça!)

A tecnologia como parte da nossa vida é uma realidade. Mudamos nossos hábitos e adquirimos novos costumes. O principal deles referente aos nossos hobbies, como, por exemplo, ler . Há quem ainda prefira (e me incluo entre eles) ter o livro físico e guardá-lo como um troféu na estante (tenho alguns bem legais aqui), mas é bem verdade que os ebooks são bem mais práticos e, em alguns casos, seus preços saem mais em conta. As melhores frases do esporte — #OAlanbrado Para quem ainda não conhece os livros digitais (ou não teve a oportunidade de encontrar algo legal para ler), #OAlanbrado reúne uma seleção de livros baratos — e alguns de graça — sobre futebol que são extremamente interessantes e que podem ser encontrados no Google Play . Claro, existem muitos outros livros (e em outras lojas virtuais), mas é bom para, pelo menos, começar a leitura por estes bons títulos. A COPA COMO ELA É: A HISTÓRIA DE DEZ ANOS DE PREPARAÇÃO PARA A COPA DE 2014 Correspondente internac

Álbum de Figurinhas da Euro 2016 é lançado pela Panini

A poucos meses do início de mais um campeonato europeu de seleções, a Panini , em parceria com a UEFA , lança o álbum oficial da competição. A coleção traz todos os detalhes do torneio que será disputado na França e conta com todas as equipes participantes. São 680 figurinhas, distribuídas pelas 96 páginas, que contam história da competição, dos estádios e das 24 seleções participantes. A Panini é a líder mundial de produtos colecionáveis. Criada na Itália, a editora chega a muitos países sendo a responsável, inclusive, pelas principais coleções esportivas, como Copa do Mundo e torneios FIFA , Olimpíadas , e campeonatos nacionais, como o Brasileirão , além das revistas oficiais de clubes. A Euro 2016 será a décima a ter álbum lançado pela Panini . Em relação as últimas coleções, a de 2016 chega com algumas novidades. A primeira e mais evidente é a de número de participantes, que será disputada com 24 equipes (até a última edição, o número era 16). São dedicadas duas páginas