O maior campeonato nacional fora da Europa | #OALANBRADO

O maior campeonato nacional fora da Europa

Longe de ser uma maravilha. Não chega a ser nenhum grande espetáculo. Mas tem o seu valor. Pelas equipes e pela competitividade vista em poucos lugares do planeta, o Campeonato Brasileiro é o principal campeonato nacional de futebol fora da Europa. E isso é sentido na disputa cada vez mais intensa pelos direitos de transmissão e os valores de patrocínio aumentarem cada vez mais. É bem verdade que, nestes últimos conturbados anos, perdemos muito prestígio. Cabe aos brasileiros (torcedores e clubes) lutarem pela valorização do nosso maior produto.


Para se ter uma ideia, no último ranking da IFFHS (instituto de pesquisa, história e estatísticas do futebol), a liga brasileira foi eleita a sexta mais forte do mundo. Da América, ficou atrás da argentina, mas a frente da poderosa liga inglesa. Competir com os europeus é difícil. A solução para um trabalho eficiente é simplesmente fazer o nosso. Não tem como chegar nos bilhões investidos nos campeonatos do centro do futebol mundial. Por isso, pés no chão é fundamental neste processo.

Imagem: Superesportes


Analisando os demais campeonatos da América Latina, todos são fracos. Tanto que — a exceção do Campeonato Argentino que volta e meia tem televisionamento no Brasil — pouco sabemos das disputas no continente. Isso, inclusive, é mostrado no comercial que viralizou no início deste ano para divulgar o Campeonato Uruguaio. O canal por assinatura TCC parodiou o hino da Liga dos Campeões da Europa para mostrar as "belezas" do torneio local, sob o slogan "O melhor torneio do mundo… para nós", com imagens sofríveis do futebol. Vale muito a pena ver o comercial.


E, do nosso lado, vai começar mais uma edição. A de 2016 é cheia de incógnitas. Ao contrário dos últimos anos, nenhuma equipe chega "voando" (ou seja, despontando como o grande e principal favorito ao título). Tanto que, dos cinco brasileiros na Libertadores, restaram apenas dois antes do início do Brasileirão, mas restará apenas um após o duelo brasileiro nas oitavas da competição. Isso é um sinal preocupante, mas que reservará muitas emoções e surpresas, tanto pela disputa ao título quanto pelos demais duelos (vaga nas competições internacionais e contra o rebaixamento). 


O futebol brasileiro tem muita história. Mas muita mesmo. E é preciso analisar bem cada momento. A relação com a política, os próprios clubes, a federação que rege os estados e o futebol nacional, e muito mais. E o Campeonato Brasileiro tem muito disso. Já tivemos os mais diversos e inacreditáveis regulamentos, disputas inesquecíveis dentro e fora de campo, confusões e muitos craques. 

O Campeonato Brasileiro organizado pela CBD (hoje CBF) começou em 1971, com o Atlético-MG campeão. À época, o país - em meio a uma forte ditadura - comemorava o tricampeonato mundial. Para regulamentar os torneios disputados, a federação decidiu por organizar este campeonato. Antes, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa e a Taça Brasil eram os campeonatos disputados no Brasil. Em 2010, a CBF decidiu unificar as duas eras. Assim, os títulos conquistados antes de 1971 foram considerados como parte do Campeonato Brasileiro de Futebol. Estes torneios davam vaga a Libertadores da América, recém criada pela Conmebol. O Bahia, campeão nacional em 1959, foi o primeiro representante brasileiro na competição continental.

Após a unificação, os paulistas Palmeiras e Santos são os maiores campeões nacionais, com 8 títulos cada. 



Desde 2003, o Campeonato é disputado no sistema de pontos corridos. Assim, todos jogam contra todos, e as rodadas e os jogos são definidos antes do início do torneio. 2016 será a décima primeira edição com 20 clubes. Aquele que somar mais pontos ao final de 38 rodadas, sagra-se campeão nacional.

Já tivemos torneio com mais de 100 clubes. Torneios que começaram num ano e terminaram em outro. Regulamentos estranhos e diferentes. É muita confusão... Até hoje, por exemplo, a disputa por saber quem é o legítimo campeão nacional de 1987 ainda gera polêmica. Este campeonato, inclusive, marcou uma revolução no futebol brasileiro que, em meio a modernização do esporte no mundo inteiro, passava por importantes transformações.


Lista de campeões nacionais

1959 - 1968: Taça Brasil de Futebol
1967 - 1970: Taça Roberto Gomes Pedrosa
1971 - hoje: Campeonato Brasileiro (33 fórmulas diferentes, desde seu início. Já teve outros nomes, como Copa União e Copa João Havelange).
2003 - hoje: disputada em fórmula de pontos corridos

1959 — Bahia (BA)
1960 — Palmeiras (SP)
1961 — Santos (SP)
1962 — Santos (SP)
1963 — Santos (SP)
1964 — Santos (SP)
1965 — Santos (SP)
1966 — Cruzeiro (MG)    
1967 — Palmeiras (SP)
1967 — Palmeiras (SP)
1968 — Botafogo (RJ)
1968 — Santos (SP)
1969 — Palmeiras (SP)
1970 — Fluminense (RJ)
1971 — Atlético Mineiro (MG)       
1972 — Palmeiras (SP)        
1973 — Palmeiras (SP)                
1974 — Vasco da Gama (RJ)        
1975 — Internacional (RS)       
1976 — Internacional (RS)
1977 — São Paulo (SP)                
1978 — Guarani (SP)        
1979 —  Internacional (RS)       
1980 — Flamengo (RJ)        
1981 — Grêmio (RS)        
1982 — Flamengo (RJ)
1983 — Flamengo (RJ)        
1984 — Fluminense (RJ)        
1985 — Coritiba (PR)     
1986 — São Paulo (SP)                
1987 — Sport (PE)/Flamengo (RJ)
1988 — Bahia (BA)        
1989 — Vasco da Gama (RJ)
1990 — Corinthians (SP)        
1991 — São Paulo (SP)        
1992 — Flamengo (RJ)
1993 — Palmeiras (SP)        
1994 —  Palmeiras (SP)        
1995 — Botafogo (RJ)
1996 — Grêmio (RS)
1997 — Vasco da Gama (RJ)
1998 — Corinthians (SP)        
1999 —  Corinthians (SP)        
2000 —  Vasco da Gama (RJ)
2001 — Atlético Paranaense (PR)
2002 — Santos (SP)        
2003 — Cruzeiro (MG)
2004 — Santos (SP)            
2005 — Corinthians (SP)        
2006 — São Paulo (SP)        
2007 — São Paulo (SP)        
2008 — São Paulo (SP)        
2009 — Flamengo (RJ)
2010 — Fluminense (RJ)
2011 — Corinthians (SP)        
2012 — Fluminense (RJ)
2013 — Cruzeiro (MG)
2014 — Cruzeiro (MG)
2015 — Corinthians (SP)        

O Campeonato Brasileiro de Futebol do ano de 2016 será a de número 60 da história do futebol nacional. Reunirá 20 clubes, de três regiões brasileiras (sendo 5 de São Paulo, 3 do Rio de Janeiro, 3 de Minas Gerais, 2 de Santa Catarina, 2 do Rio Grande do Sul, 2 do Paraná, 2 de Pernambuco e 1 da Bahia). Confira a relação completa:

São Paulo

Corinthians
Palmeiras
São Paulo
Ponte Preta
Santos (campeão estadual 2016)

Rio de Janeiro

Botafogo
Fluminense
Flamengo

Minas Gerais

América (campeão estadual 2016)
Atletico
Cruzeiro

Santa Catarina

Chapecoense (campeão estadual 2016)
Figueirense

Rio Grande do Sul

Grêmio
Internacional (campeão estadual 2016)

Paraná

Atletico (campeão estadual 2016)
Coritiba

Pernambuco

Santa Cruz (campeão estadual  e campeão da Copa do Nordeste 2016)
Sport

Bahia

Vitória (campeão estadual 2016)


Essa lista é para nossa conta. Ao final do campeonato (e no desenrolar dele) vamos ver como ela estará. A alta rotatividade da troca de treinadores do futebol (inclusive na seleção) preocupa. Nos clubes, isso é mais recorrente. É importante analisar que equipes bem construídas são formadas por nomes que permanecem a pelo menos uma temporada.

A nível de curiosidade é importante destacar que, neste início de campeonato, temos três técnicos estrangeiros no total.

América: Givanildo Oliveira
Atlético-MG: Diego Aguirre
Atlético-PR: Paulo Autuori
Botafogo: Ricardo Gomes
Chapecoense: Guto Ferreira
Corinthians: Tite
Coritiba: Gilson Kleina
Cruzeiro: Paulo Bento
Figueirense: Vinícius Eutrópio
Flamengo: Muricy Ramalho
Fluminense: Levir Culpi
Grêmio: Roger Machado
Internacional: Argel Fucks
Palmeiras: Cuca
Ponte Preta: Eduardo Baptista
Santa Cruz: Milton Mendes
Santos: Dorival Júnior
Sport: Oswaldo de Oliveira
São Paulo: Edgardo Bauza
Vitória: Vagner Mancini


A competição e a organização fica a cargo da Rede Globo de Televisão. Grande parceira do futebol nacional e da CBF, a emissora carioca transmitirá a competição e é a responsável pelo licenciamento do certame em todas as mídias. Há anos a emissora fecha acordos diretamente com os clubes, e não com qualquer filiação.

Transmitindo em TV aberta, a emissora terá até alguns jogos a disposição por rodada. E, de acordo com seu planejamento comercial e data e horário, transmite um para cada praça (geralmente, um para São Paulo, outro para Rio de Janeiro e Rede, também entre Globo Nordeste, Globo Minas e RBS/Sul).

A edição de 2016 marcará um acontecimento que não se via há muito tempo. A emissora carioca transmitirá com exclusividade a competição em TV aberta. Desde 2007, a TV Bandeirantes tinha parceria com a emissora para transmitir o torneio. O canal paulista retransmitia a mesma partida que a Globo. Mas, por conta dos altos custos e pela crise econômica e política, a Band decidiu por não renovar o sublicenciamento e não vai transmitir a competição. Antes da Bandeirantes, a Record fazia essa parceria. Até agora, não há informações sobre outra emissora que queira fazer acordo para tanto. Chegou a cogitar-se RedeTV! e SBT, porém, não foi adiante.


A Globo transmite - salvo raríssimas exceções - os jogos de quarta-feira (21h45) e domingo (16h). Além do canal aberto, a emissora transmite sua programação pelo Globo Play (aplicativo e site na internet). Atualmente, está disponível apenas para São Paulo e Rio de Janeiro.

Na TV fechada, o SporTV transmitirá a competição mais uma vez. Serão dois jogos por rodada, apenas com restrição para a praça que a partida é realizada. Os jogos são geralmente transmitidos na quarta, as 19h30; na quinta, as 21h; no sábado e domingo, as 18h30.


O sistema pay-per-view, por meio do canal Premiere, vai transmitir todas as 380 partidas do certame. Os valores para contratação variam de acordo com o plano de TV por assinatura (por pacote ou por jogos individuais). Quem for assinante poderá acompanhar a competição via Premiere Play (aplicativo e site na internet em que é possível acompanhar os jogos ao vivo).


Fernando Torres / CBF


Nome: Brasileirão Chevrolet 2016 – Série A
Período de disputa: 14 de maio a 4 de dezembro 2016 (haverá pausa durante a disputa dos Jogos Olímpicos 2016, em agosto)
Regulamento: Todos jogam contra todos. Ao final de 38 rodadas, a equipe que mais pontuou conquista o título. Serão, por rodada, 10 partidas. 
Equipes: 20
Jogos: 380
Vagas para Libertadores 2017: 4 primeiros colocados (3 primeiros irão direto para a Segunda Fase e o quarto colocado, para a primeira fase)
Rebaixamento: Quatro piores colocados
Transmissão de TV: Globo, SporTV e Premiere
Atual campeãoSport Club Corinthians Paulista

Bola oficial: Nike Ordem CBF Brasil 3

Divulgação

Novidades

A CBF decidiu tratar com mais carinho seu principal torneio. Promete algumas importantes mudanças para melhorar o nível do futebol nacional. A mais perceptível vendo a tabela são os novos horários para jogos. Além dos tradicionais sábados e domingos tarde/noite e quartas e quintas, a noite, teremos jogos domingos de manhã e nas segundas-feiras; os jogos serão as 20h.

E, sim, eles criaram um hino!!! É ruim. Ouça.

 
Vamos esperar para ver o que vai sair de tudo isso. Cuidemos melhor do nosso produto!

****

O Campeonato Brasileiro é bacana. Basta apenas os clubes jogarem com responsabilidade e compromisso com o torcedor. Até dezembro, muita coisa vai acontecer! E aí, qual o seu palpite? 

Leia Também


0 comentários:

Postar um comentário