Álbum do Brasileirão 2016 é lançado com espaço para mercado da bola | #OALANBRADO

Álbum do Brasileirão 2016 é lançado com espaço para mercado da bola

Segundo a editora, o álbum do Campeonato Brasileiro 2016 lançado em maio é dedicado aos futebolásticos. O neologismo brinca com os fanáticos por futebol (daí a combinação entre palavras) e traz na edição algumas novidades, a principal delas que é o lançamento da publicação junto com o início do torneio. Em todos os anos, o livro ilustrado é comercializado em agosto/setembro (muitas vezes, com alguns "erros" graças as janelas de transferências que acontecem durante este período). 

Para competir com os guias nas bancas de jornal e a inesgotável fonte de informação que é a internet, a Panini aposta na interatividade. O site "Torcida Panini" (espaço dedicado as publicações desportivas da editora e criado durante a Copa de 2010) foi totalmente remodelado. 



A publicação é a primeira a contar com a "chancela" da CBF. A editora sempre lançou o álbum do torneio, mas fechando contrato tão somente com os clubes. Houve edições que os livros, por exemplo, não traziam 3 a 4 clubes da série A e era comercializado "incompleto". Recentemente, uma parceria entre Abril (esta que detinha direitos de imagens de alguns clubes) e Panini acabou com esse imbróglio e a editora italiana pôde então ter nos álbuns todas as equipes.

A falta de informação segue

Entretanto, as outras novidades prometidas no Livro Ilustrado Oficial do Campeonato Brasileiro 2016 — Séries A e B não são nem tão 'novidades' assim e não há um grande diferencial que faz da publicação algo para ser levado para todos os cantos pelos tais futebolásticos. Claro, o perfil de comportamento do colecionador mudou, mas algumas características poderiam ter sido mantidas e/ou adicionadas. Na parte gráfica, o álbum está bonito, mas falta informação. 


Por exemplo, existe duas páginas antes de cada divisão do campeonato com a tabela de resultados do ano anterior (?!). Sim, de 2015! E a tabela de 2016 (para marcar os resultados e situar o torcedor) não existe. Inclusive, essa prática de não colocar espaços para os confrontos do torneio é tomada já tem algumas edições. Ao mesmo tempo, a tabela sobre os últimos campeões e artilheiros, além de um resumo sobre a última edição e vencedor do Brasileirão, são coisas para serem parabenizadas. 

Janela de Transferências e Figurinha a mais

Novidade que chama a atenção comparado aos anos mais recentes é o espaço dedicado ao mercado de transferências do meio do torneio. Em agosto e em outubro, será comercializado, junto com as figurinhas normais, novos cromos com as novidades do mercado da bola. Ou seja, se seu clube contratar um nome de peso durante essa janela, ele terá espaço na página do time.


Essa novidade, na verdade, não é algo inédito. Em 2007, no álbum especial intitulado Show do Brasileirão (este, um dos mais completos e fantásticos álbuns lançados) havia uma página especial para estas novidades. A diferença está que, no de 2016 o espaço dado é na página de cada clube, e não em uma especial dedicada ao mercado de transferências.

Página do atual campeão, Corinthians; a que na nossa coleção, no momento, com mais figurinhas


Além disso, outra novidade importante (esta sim, que vale a pena) é que os pacotes com figurinhas contarão com 6 cromos (e não 5, como padrão nestes últimos tempos).

No total, o álbum conta com 520 figurinhas (sendo 200 especiais), e há duas páginas para cada clube da série A. Cada clube, além do espaço para seus jogadores, terá figurinhas especiais para bandeira, escudo, mascote e camisa. Há duas opções de álbum: capa cartão e a outra, capa dura. Além desta, haverá uma edição limitada com capa metalizada. Esta e a de capa dura contarão com a logo da CBF na capa.

Apesar da importância, álbum não tem patrocínio

Uma curiosidade que chama a atenção é que nesta publicação não há nenhum patrocínio de nenhuma outra empresa. Para se ter uma ideia, a parte de trás da capa e as últimas páginas do álbum são dedicadas a informes da própria editora. Há um sobre o novo site Torcida Panini; outro sobre o termo "Futebolástico" - e o slogan "Tem Futebolástico, Tem Panini"; além de um explicando a diferença entre colecionadores completos e incompletos (isso para incentivar as pessoas a completar o álbum). 



Enfim, para quem já contou em anos anteriores com o apoio de nomes como SporTV, Itaú, Guaraná Antarctica e Revista Placar, não ter uma marca apoiando pode ter sido ruim para a empresa. 

Ficha técnica

Lançamento: 15/05/2016
Fase 2 (segunda atualização de cromos): prevista a partir de 15/08
Fase 3 (terceira atualização com novos cromos): prevista a partir de 14/10
Formato: 235 x 300 mm
Estrutura: 72 + 4 páginas
Distribuição: Nacional
Preço do livro ilustrado: R$6,90
Preço do livro ilustrado capa metalizada – edição limitada: R$ 10,90
Preço do livro ilustrado capa dura + 10 envelopes: R$32,50
Envelope com 6 cromos: R$ 1,25

Cromos
Total 523 cromos
Couche: 323 cromos
Especiais: 200 cromos

Com informações do site oficial da Editora Panini Brasil



Dá para melhorar

Muito provavelmente, o álbum do Brasileirão é um dos mais esperados pelos colecionadores (perde, talvez, para o da Copa do Mundo). Assim, a expectativa é grande pelos fãs de futebol de estar próximos de seu clube e poder levar consigo os seus grandes ídolos. Fora que é uma oportunidade dos jogadores e clubes estarem próximos de seus torcedores.
O álbum é bacana. E é importante destacar como vem melhorando ao passar dos anos. Porém, só distribuir imagens de jogadores e ser um espaço para colar não faz de um álbum algo estimulante. É possível pegar bons exemplos de álbuns, como o de competições da UEFA e o da própria Copa do Mundo. A tabela completa, o espaço para o estádio, as estatísticas históricas, os técnicos, árbitros (como de 2007), etc. são grandes atrativos, além dos prêmios. Porque, sem isso, o álbum será só mais um, ano após ano. 

Leia também

0 comentários:

Postar um comentário