Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2016

Queda brasileira na Libertadores mostra ascensão de países menores

Após mais uma eliminação da Seleção Brasileira da Copa América , em um grupo até certo ponto fácil, os torcedores e analistas viram uma velha máxima do esporte voltar a tona: "não existe mais bobo no futebol". Ou seja, não é só o nome que ganha mais jogo (na verdade, nunca foi, mas, sem dúvida, ter estima dava certo favoritismo as equipes).  O jargão expressa uma realidade vista em todo o mundo, como na Inglaterra, em que o pequeno Leicester - clube com pouca relevância no futebol local - desbancou os gigantes do país e venceu os bilionários clubes da Premier League , levando a competição pela primeira vez.  Uma conquista assim vai muito além de raça, correria ou simplesmente ter "aliados" em partidas específicas (como a altitude, por exemplo). Na Libertadores , equipes bem organizadas tecnicamente deram dor de cabeça em clubes com boa estrutura e altos valores de elenco (citando especificamente Brasil e Argentina). Não à toa, equatorianos e colombianos dec

Não percamos o Bom Senso

Impulsionados pelas Jornadas de Junho de 2013, em que milhares de brasileiros foram as ruas mostrar descontentamento com a política nacional, um grupo de jogadores renomados do futebol brasileiro criaram movimento que mexeu com os organizadores e teve grande apoio da imprensa e dos torcedores. O Bom Senso FC surgiu e mostrou que muitos jogadores estão engajados em mudanças de verdade para o bem do futebol nacional. De lá para cá, mudanças deram grande impacto no esporte no Brasil. A luta pelo Bom Senso - Juca Kfouri (Folha de S. Paulo) Na época da criação do movimento, houve até rumores de que os jogadores fizessem uma greve no Campeonato Brasileiro. Paulo André , um dos líderes do movimento, se arrepende de não ter seguido em frente com a paralisação, que com certeza teria grande impacto e visibilidade mundial. Em entrevista para a Folha de S. Paulo, o jogador comentou sobre os legados do movimento e explicou os novos caminhos que o Bom Senso tomará depois de três anos de a

Uma visita diferente ao Museu do Futebol

Quem mora em São Paulo (ou visita a cidade) e gosta de futebol tem a "obrigação moral" de conhecer o Museu do Futebol e o Estádio do Pacaembu . Um dos marcos futebolísticos da cidade, o estádio municipal guarda características do futebol antigo (a época "romântica") e da era mais moderna. Já o museu, inaugurado em 2008, é uma das opções culturais de maior prestígio em São Paulo.  A organização sempre traz novidades. No mês de julho, época de férias escolares, por exemplo, muitas atividades para as crianças marcam a visita. Além disso, exposições temáticas e eventos futebolísticos são frequentes Para acompanhar o encontro do MemoFut , grupo destinado à memória futebolística, #OAlanbrado visitou o Museu mais uma vez e traz a seguir uma análise do evento e da exposição em si. Para quem gosta de história esportiva, tanto o fantástico e enriquecedor encontro do MemoFut (que contou com a participação de nomes importantes e grandes conhecedores do futebol), quan

Eurocopa 2016: Da ameaça de terrorismo à festa dentro de campo

Portugal é campeão da competição; é o primeiro título importante da seleção principal na história. Michael Regan / Getty Dizer que a UEFA Euro 2016 foi emocionante do começo ao fim não é bem verdade. Ao contrário da última Copa do Mundo , em que as seleções protagonizaram grandes jogos e com grande número de gols, a Euro deste ano falhou no quesito grandes emoções. Partidas fracas marcaram a primeira fase do torneio. A grande surpresa, sem dúvida, durante toda a competição foi a Islândia , que conseguiu ir muito além do que era esperado e conquistou o carinho de fãs por todo o mundo. A próxima Eurocopa não terá sede fixa, em comemoração ao 60º aniversário da UEFA. A competição ocorreu em um momento de grande tensão mundial por conta das ameaças frequentes de terrorismo. A luta contra o terror deixou franceses e organizadores de olhos abertos para garantir que a competição ocorresse sem maiores problemas. Essa preocupação é a que o Brasil terá também para a realização dos J