Brasil é o segundo país do Hemisfério Sul a receber as Olimpíadas | #OALANBRADO

Brasil é o segundo país do Hemisfério Sul a receber as Olimpíadas

Em 2009, o COI definiu o Rio de Janeiro como sede dos Jogos da 31ª Olimpíada. O caminho percorrido para tal feito é longo e tem muita história, isso muito antes das duas derrotas da cidade para receber Olimpíadas anteriores (em 2004 e 2012). Outras cidades brasileiras já quiseram sediar os Jogos (São Paulo e Brasília). Assim como outras da América do Sul, como Buenos Aires. Todas perderam.

O continente sul-americano nunca recebeu os Jogos. O Rio de Janeiro é a primeira cidade. O processo de candidatura pode ter começado pós grande crise da cidade no início da década de 90. Em recuperação, dirigentes e políticos sugeriram disputar a concorrência. Anos mais tarde, foi feita as primeiras tentativas, sem sucesso. Até que em 2009, fomos escolhidos. O Brasil vivendo um bom período econômico e político levou promessas ao Comitê Olímpico.


A ideia era repetir o sucesso de Barcelona-92, que, num processo que começaria muito antes de serem eleitos sedes dos Jogos, é tido como principal referência de legado das Olimpíadas. Chegado os Jogos 2016, parece que o Rio não tem muito o que comemorar quanto a isso.


De qualquer forma, 2016 é importante para a América do Sul. A grande maioria dos Jogos foram disputados na Europa. A escolha do Brasil para sediar a Copa em 2014 e a Olimpíada deste ano, da África do Sul, de sediar a Copa de 2010, da China sediar os Jogos de 2008, e da Rússia, a Copa do Mundo de 2018 e a Olimpíada de Inverno de 2014, mostra como os BRICS (grupo de países emergentes; inclui também a Índia) agitaram o mundo neste começo de década. 

A seguir, as cidades sedes dos Jogos Olímpicos de Verão da Era Moderna.

Atenas 1896 (Grécia - Europa)
O Barão Pierre de Coubertin tinha no seu ideal trazer o espírito olímpico criado na Antiguidade depois de muito tempo da proibição do evento. O francês acreditava na força do esporte para a humanidade (apesar de, durante toda sua vida, ser receoso quanto a presença de mulheres nas disputas). Para celebrar a primeira edição das Olimpíadas, a Grécia começou esta fase da história. Os gregos criaram o conceito na Antiguidade. É importante ressaltar que as Olimpíadas antigas pouco têm semelhanças com as disputas modernas (era um evento reunindo apenas gregos - ou falantes da língua - e com outros eventos, que não apenas os esportivos).

Paris 1900 (França - Europa)
Idealizador dos Jogos e primeiro presidente do COI, Coubertin era nascido na França (amigo de Santos Dumont, inclusive - brasileiro inventor do avião). Em seu país, foram realizados os segundos Jogos Olímpicos. Os Jogos foram simultaneamente realizados durante outro evento, o que deixou as atenções menores as disputas esportivas.

St. Louis 1904 (Estados Unidos - América do Norte)
Primeiros Jogos fora da Europa. Os americanos acreditaram na potência do evento, que começava a colecionar adeptos em todo o planeta. A distância e a difícil viagem entre os continentes atrapalhou a ida de atletas europeus ao país norte-americano.

Londres 1908 (Inglaterra - Europa)
Originalmente os Jogos seriam realizados na Itália. Porém, devido a um vulcão, a Olimpíada foi remanejada as pressas para a capital inglesa. No fim das contas, os Jogos deram certo e o sentimento olímpico foi aumentado e atraindo mais competidores.

Estocolmo 1912 (Suécia - Europa)
Últimos Jogos antes do início da I Grande Guerra Mundial. Os ânimos dos países estavam aumentando, dando margens a diversas Revoluções em partes do mundo. Após a Olimpíada sueca, o mundo veria novamente as disputas apenas em 1920.

Antuérpia 1920 (Bélgica - Europa)
Os Jogos voltaram. Numa Europa abalada, a Bélgica foi responsável pela volta dos Jogos Olímpicos. Esta foi a primeira Olimpíada que o Brasil disputou e, de cara, conquistou medalhas no tiro esportivo. 

Paris, 1924 (França - Europa)
Com a consolidação da importância olímpica e sua marca, Paris voltaria a receber os Jogos. Após vinte anos de uma Olimpíada esvaziada, Paris 1924 teve bem mais atenção e fez da cidade a primeira a receber os Jogos por duas vezes. Foram os últimos Jogos com a presença de Pierre de Coubertin.

Amsterdã 1928 (Holanda - Europa)
Os números de atletas só aumentavam. E o de países participantes também. Voltariam a competir países derrotados na I Guerra.

Los Angeles 1932 (Estados Unidos - América do Norte)
A Olimpíada saiu da Europa mais uma vez. E mais uma vez teve como destino os Estados Unidos. Pós queda da Bolsa, o mundo capitalista buscava recuperar suas forças. A Olimpíada foi uma oportunidade americana para mostrar sua recuperação.

Berlim 1936 (Alemanha - Europa)
Olimpíada disputada na Alemanha nazista de Hitler. Por pouco, não haveria o primeiro grande boicote aos Jogos. No fim das contas, muitas histórias marcaram esta competição alemã. Foi a última antes do início da II Grande Guerra. 

Londres 1948 (Inglaterra - Europa)
Com a Europa destruída, Londres teve a missão de novamente receber os Jogos as pressas. Pela segunda vez, o país foi palco das disputas.

Helsinque 1952 (Finlândia - Europa)
A Finlândia foi o "plano B" dos organizadores dos Jogos para sediar uma das disputas durante a II Guerra. Porém, também não houve condição de realizá-las.

Melbourne 1956 (Austrália - Oceania)
Os Jogos foram disputados longe da Europa. Pela primeira vez, na Oceania e, também de forma inédita, a primeira na parte sul do planeta. Devido a uma preocupação com a saúde de animais, também foi disputada disputa olímpica na Suécia. 

Roma 1960 (Itália - Europa)
Os Jogos partem pela primeira vez para a Itália. A Olimpíada, já consolidada como evento de grande importância, também foram acompanhadas ao vivo via satélite pela televisão de alguns países. A emissora RAI foi responsável pela captação de imagens. 

Tóquio 1964 (Japão - Ásia)
Primeiros Jogos da Ásia. Assim como Helsinque 1952, os japoneses deveriam ter recebido os Jogos durante a II Guerra. A rede NHK também fez uma cobertura importante dos Jogos e com marcos importantes televisivos.

Cidade do México 1968 (México - América do Norte)
 Pela segunda vez seguida, os Jogos ficaram longe da Europa. Dessa vez, as disputas foram no México. Primeira vez que foi disputado em um país da América Latina.

Munique 1972 (Alemanha Ocidental - Europa)
Jogos marcados pelo maior atentado terrorista da história na Olimpíada. Voltou a Alemanha (dividida e em reflexo da Guerra Fria), após o afastamento devido a  Guerra. Queriam dar uma nova visão ao mundo com os "Jogos da Paz", mas esta edição foi uma das mais tristes por conta da violência.

Montreal 1976 (Canadá - América do Norte)
Jogos voltam a América do Norte. O Canadá não economizou esforços para receber a Olimpíada. No fim, os canadenses sofreram por muito tempo para quitar as dívidas dos Jogos.

Moscou 1980 (União Soviética - Europa)
Primeiro e único país socialista a receber os Jogos. Marco do primeiro grande boicote (encabeçados pelos Estados Unidos).

Los Angeles 1984 (Los Angeles - América do Norte)
Também marco de outro grande boicote (desta vez por parte dos soviéticos). A disputa entre EUA x URSS, que marcariam as edições anteriores, teria seu último encontro na Olimpíada seguinte.

Seul 1988 (Coreia do Sul - Ásia)
A Coreia estava em crescimento econômico. Um dos atores de conflitos frutos da Grande Guerra, o país recebeu os Jogos Olímpicos, o segundo da Ásia.

Barcelona 1992 (Espanha - Europa)
Reforçando a cultura catalã, os Jogos de 1992 foi um dos marcos da modernização da cidade. Era o fim do socialismo real, com a queda do Muro de Berlim (1989) e da dissolução da URSS (1991).

Atlanta 1996 (Estados Unidos - América do Norte)
Os jogos da terra da Coca-Cola. Nos 100 anos da Olimpíada da Era Moderna, os Estados Unidos voltam a receber os Jogos.

Sidney 2000 (Austrália - Oceania)
A última Olimpíada do século XX e o primeiro do novo milênio, marcados pela alta tecnologia, preocupação com o meio ambiente e pela grande organização.

Atenas 2004 (Grécia - Europa)
Jogos problemáticos pela organização. A Olimpíada de 2004 foi, para a Grécia, um divisor para a crise que a fez refém de pacotes da União Europeia para salvar-se economicamente.

Pequim 2008 (China - Ásia)
A China queria mostrar ao mundo sua grandiosidade. O país não mediu esforços para fazer uma Olimpíada gigantesca.

Londres 2012 (Inglaterra - Europa)
Pela terceira vez, Londres foi palco das disputas olímpicas. A diferença desta para as outras duas, foi que a escolha de recebê-la aconteceu em um momento bem mais calmo, não sendo o "refúgio" do COI para momentos complicados de outros países.

Rio 2016 (Brasil - América do Sul)
Não teria como outro país sul-americano receber os Jogos. O maior país em extensão, população e economia, o Brasil foi atrás e conseguiu o direito de sediar a Olimpíada. Dois anos antes, o país recebeu a Copa do Mundo. Sediar os dois eventos, combinados por problemas internos, provocou problemas na economia e um processo de afastamento da presidente.

2020 será em Tóquio, no Japão.

Olimpíadas por continente

Europa 16

América do Norte 6

Ásia 4

Oceania 2

América do Sul 1

Olimpíadas por país


Estados Unidos (4)
Inglaterra (3)
Grécia (2)
Alemanha (2)
França (2)
Austrália (2)
Japão (2)
Suécia
Bélgica
Holanda
Finlândia
Itália
Canadá
México am norte
União Soviética
Coreia do Sul
Espanha
China
Brasil





-

PARA EMOCIONAR O patriotismo gritou alto na cerimônia de abertura dos Jogos Rio 2016. Uma festa belíssima contou a história do Brasil e chamou a atenção do mundo para a urgência de cuidar do planeta. Além disso, o culto a diversidade (característica do nosso país) esteve presente. Muita música e emoção foram destaques da cerimônia. A pira está acessa. A Olimpíada começou!

JUSTIÇA Vanderlei Cordeiro de Lima foi o escolhido para acender a chama olímpica no Maracanã. O ex-maratonista fez história nos Jogos, levando o espírito olímpico para o mundo. Ele perdeu a medalha de ouro em 2004, após ser impedido por um manifestante. Mesmo assim voltou a maratona e conseguiu o bronze!

MAS JÁ? O arqueiro sul-coreano Kim Woojin bateu a marca de 700 pontos no tiro com arco. Novo recorde mundial! A expectativa dos Jogos é por muitas quebras de marcas. Alô, Bolt!






 "A Olimpíada é o evento mais importante do esporte mundial. Se você não quer estar no evento mais importante do esporte mundial, então é difícil entender qual é a sua motivação para o resto das coisas"

O tenista e porta-bandeira da delegação espanhola, Rafael Nadal em maio comentando sobre as desistências de esportistas dos Jogos. Nadal não está na sua melhor condição física, mas é um dos destaques da modalidade. Foi campeão olímpico em 2008.

Siga @OAlanbrado no Facebook.

0 comentários:

Postar um comentário