Pular para o conteúdo principal

Lance! completa 20 anos e enfrenta crise no jornalismo impresso

Diário esportivo mais importante do país fica atrás na disputa com o conteúdo na internet

Pioneirismo foi a marca do Diário Lance! desde seu lançamento em outubro de 1997. A ousadia de seus criadores fez da publicação uma das mais importantes e relevantes do jornalismo brasileiro nas duas últimas décadas. Porém, o jornal passa por momentos conturbados e, na competição com a internet, a impressão que se tem é a de que o Lance! fica para trás.

O Lance!, por seu espírito jovem e inovador, conseguiu desbancar o tradicionalíssimo A Gazeta Esportiva, que, no início deste século, decretou seu fim, permanecendo apenas como agência de notícias esportivas. Anos mais tarde, o Jornal dos Sports, no Rio de Janeiro, também encerrou suas atividades.



Walter de Mattos Jr., fundador do Lance!, coordenou uma empreitada, acima de tudo, corajosa. Lançar um impresso no Brasil é um processo em que poucos se destacam. São poucas as famílias e os grupos que possuem um veículo com certo alcance nacional. 

Fundado simultaneamente no Rio de Janeiro e em São Paulo, o diário esportivo tentou desbravar outras regiões, algumas porém sem sucesso. Foi o primeiro jornal em formato tabloide, colorido e grampeado. Buscou renovar a cara da imprensa esportiva e contou com um grupo jovem no início do projeto. Além de colunistas consagrados, criou personagens para cada clube, que serviam como "porta-vozes" da torcida.

Os posteres rivalizam com os lançados pela Placar


A empreitada do Lance! foi inspirada em projetos de outros países que possuem características, em relação ao consumir futebol, semelhantes. A Argentina, com o diário Olé, e a Espanha, com o Marca. Além disso, o jornal apostou também na internet. Lançou, logo no início, as notícias esportivas online, fazendo com que, no ano seguinte, A Gazeta Esportiva criasse seu site. 

Em"“História do Lance! Projeto e Prática de Jornalismo Esportivo”, Maurício Stycer detalha de forma clara o papel do Lance!, sua história e o cenário que precedeu o lançamento. O autor explica os objetivos de Walter de Mattos Jr., seus cuidados e visão. 

O diário é o 16º colocado na média de circulação entre os jornais impressos. Os dados, disponíveis no site da ANJ, ranqueia também a média de acessos digitais dos jornais filiados; o Lance! aparece em 26º. Os dados referem-se a 2015. Os números, digam-se, fazem do Lance! um dos maiores jornais de conteúdo segmentado do país e o maior impresso esportivo.

Inspirando gerações

Assim como Placar, o diário Lance! também encheu os olhos de muitos garotos fãs de futebol. A possibilidade de ter um jornal de qualidade, diário, e com visão mais profunda do seu time fez com que o jornal se destacasse. Contrastando com a linha mais séria de A Gazeta no final dos anos 90 e nos primeiros anos do novo século. 


No início, vendido a R$ 0,75, o diário hoje é encontrado nas bancas por mais de R$ 2,00. Particularmente falando, "conheci" o Lance! a R$ 1,25 (e R$ 2,00 aos sábados, dia que uma revista A+, era encartada junto). 

Marca do grupo, a Lance! Publicações também lançou revistas e DVDs, além de outros produtos oficiais de clubes

Além disso, a forma como o Lance! tratou do futebol sempre foi muito comentada. A quantidade de páginas para cada equipe, como se referir aos clubes, destaque quando é clássico etc. O clubismo muitas vezes foi tema de discussão entre seus fãs. Mesmo assim, em dias de jogos e pós-partidas, era ritual quase obrigatório ir na banca para ter o jornal em mãos e ver como tal acontecimento fora abordado.


O Lance! sempre deixou claro seu descontentamento em relação ao modelo de gestão do futebol no país. Seu fundador, Walter de Mattos Jr., já escreveu editoriais em capa para mostrar o posicionamento da publicação sobre os manda-chuvas do futebol brasileiro. 

Anúncio do Lance! nos álbuns da Champions League

Futuro

Discutir o que será do Lance! é também falar do futuro da imprensa brasileira. Mais do que discutir o meio, é o conteúdo que importa. Diante da enorme quantidade de informação em diferentes linguagens e formas, a curadoria de conteúdo de qualidade é o que fará das publicações a escolha do público.

Atualmente, o Lance!, que disponibiliza todo o conteúdo do impresso na internet de forma aberta, fica atrás dos portais dedicados a análise mais profunda do esporte. Saber comunicar-se com o público oferecendo para ele o que importante de acordo com como ele lê e diversificar os esportes são passos importantes para manter-se em destaque.

Em agosto, o Lance! entrou com pedido de recuperação judicial na justiça. Quem cresceu lendo o diário torce pela sua retomada, mantendo a linguagem jovem e dando espaço aos novos profissionais do mercado, multitarefas e que entendam desse novo mundo.

Força ao LANCE! E parabéns pelas duas décadas.

Leia também

A importância da Gazeta para o jornalismo

Comentários

Posts mais acessados

Fruto da mercantilização dos Jogos, mascotes são destaques

Uma Olimpíada é marcada por muitos símbolos. Desde que os Jogos conquistaram grande visibilidade mundial, foram instituídos algumas características em cada edição para justamente haver uma identificação única de cada disputa.
Nas Olimpíadas, as mascotes são marcas registradas das edições. Adotada pela primeira vez em uma competição de Inverno (em Grenoble, na França, em 1968). Nos Jogos de Verão, o primeiro foi em 1972, nos Jogos de Munique. Em Copas do Mundo, o primeiro foi em 1966. na Inglaterra.
A mascote mais lembrada das Olimpíadas, sem dúvida alguma, é o ursinho Mischa, que representou os Jogos de 1980, nas disputas em Moscou. Na cerimônia de encerramento, a imagem formada pelo público nas arquibancadas derramou uma lágrima da mascote, emocionando a todos e sendo marcada para sempre.  
Para 2016, a mascote dos Jogos Olímpicos é Vinícius, que homenageia um dos grandes nomes brasileiros de todos os tempos, que é Vinícius de Moraes.  A mascote é inspirada na fauna brasileira. 


Há…

Álbum de Figurinhas da Euro 2016 é lançado pela Panini

A poucos meses do início de mais um campeonato europeu de seleções, a Panini, em parceria com a UEFA, lança o álbum oficial da competição. A coleção traz todos os detalhes do torneio que será disputado na França e conta com todas as equipes participantes. São 680 figurinhas, distribuídas pelas 96 páginas, que contam história da competição, dos estádios e das 24 seleções participantes.

A Panini é a líder mundial de produtos colecionáveis. Criada na Itália, a editora chega a muitos países sendo a responsável, inclusive, pelas principais coleções esportivas, como Copa do Mundo e torneios FIFA, Olimpíadas, e campeonatos nacionais, como o Brasileirão, além das revistas oficiais de clubes. A Euro 2016 será a décima a ter álbum lançado pela Panini.



Em relação as últimas coleções, a de 2016 chega com algumas novidades. A primeira e mais evidente é a de número de participantes, que será disputada com 24 equipes (até a última edição, o número era 16). São dedicadas duas páginas inteiras para c…

7 Livros sobre Futebol no Google Play (4 deles, de graça!)

A tecnologia como parte da nossa vida é uma realidade. Mudamos nossos hábitos e adquirimos novos costumes. O principal deles referente aos nossos hobbies, como, por exemplo, ler. Há quem ainda prefira (e me incluo entre eles) ter o livro físico e guardá-lo como um troféu na estante (tenho alguns bem legais aqui), mas é bem verdade que os ebooks são bem mais práticos e, em alguns casos, seus preços saem mais em conta.
As melhores frases do esporte — #OAlanbrado
Para quem ainda não conhece os livros digitais (ou não teve a oportunidade de encontrar algo legal para ler), #OAlanbrado reúne uma seleção de livros baratos — e alguns de graça — sobre futebol que são extremamente interessantes e que podem ser encontrados no Google Play. Claro, existem muitos outros livros (e em outras lojas virtuais), mas é bom para, pelo menos, começar a leitura por estes bons títulos.


A COPA COMO ELA É: A HISTÓRIA DE DEZ ANOS DE PREPARAÇÃO PARA A COPA DE 2014
Correspondente internacional, Jamil Chade é um do…