Pular para o conteúdo principal

Penta em 2002 confirmou soberania do Brasil em Mundiais

Entretanto, com jejum de 20 anos, rivais se aproximam da quantidade de títulos; Alemanha e Itália são as mais próximas


A primeira Copa do Mundo de Futebol da FIFA do século XXI foi também um torneio repleto de marcos importantes. A começar por ter sido, depois de 72 anos, a primeira Copa fora da América e da Europa. E a primeira a ter duas sedes. Japão e Coréia do Sul sediaram aquele que foi o primeiro Mundial do continente asiático. Foi ali que o mundo viu o ressurgimento da Seleção Brasileira.

Desacreditada, o Brasil quase não foi para o mundial de 2002. A campanha vexatória na Copa América de 2001 e nas eliminatórias (a vaga só foi garantida na última rodada) colocavam ainda mais pressão no time comandado por Luiz Felipe Scolari.


A Seleção que começou desacreditada comemorou o Penta em 30 de junho de 2002 - Getty


Vale ressaltar que, para 2002, o Brasil buscava um feito que, até aquele momento, somente a Alemanha havia alcançado: três finais de Copa do Mundo seguidas. A Alemanha foi finalista de 1982 (perdendo para a Itália), 1986 (perdendo para a Argentina) e 1990 (vencendo a Argentina). Por parte do Brasil, após 24 anos, a Seleção foi finalista em 1994 (campeã sobre a Itália) e vice em 1998.

No final das contas, o Brasil chegou à decisão e venceu a Alemanha, naquele que foi o primeiro encontro entre as duas equipes na história dos mundiais. A vitória por 2 a 0 coroou uma geração inesquecível.

A campanha


Primeira Fase- Coréia do Sul (Grupo C)
03.06 – Brasil 2-1 Turquia
08.06 – Brasil 4-0 China
13.06 – Costa Rica 2-5 Brasil

Brasil classificado em primeiro com 9 pontos.

Oitavas de Final
17.06 – Brasil 2-0 Bélgica

Quartas-de-final
21.06 – Brasil 2-1 Inglaterra

Semifinal
26.6 – Brasil 1-0 Turquia

Final
30.06 – Brasil 2-0 Alemanha

Resumo do Penta

7 jogos
7 vitórias
0 empates
0 derrotas
18 gols marcados
4 gols sofridos

#Copa 2002 em números

2002 FIFA World Cup Korea/Japan™
Período: 31 de maio a 30 de junho de 2002
Equipes: 32
Quantidade de sedes: 20 estádios (10 na Coréia do Sul e 10 no Japão)
Transmissão de TV no Brasil: TV Globo (TV aberta) e SporTV (TV fechada)
Média de gols: 2,5
Média de público: 40.268

# Curiosidade


O álbum de figurinhas da época.

Álbum da Copa do Mundo 2002 Panini

álbum da Copa 2002 - Yokohama



Bônus: Álbum Brasil de Todas as Copas (Panini 2014)




# Soberania em Risco

Quando a Copa do Mundo do Qatar em 2022, a primeira do Oriente Médio, começar, o Brasil estará jogando contra um jejum de 20 anos desde a conquista da Copa de 2002.

Este é o maior jejum da Seleção Brasileira sem títulos de Copa do Mundo desde o hiato de 1970 a 1994 (24 anos). 

O intervalo atual é resultado de uma série de fatores, que extrapolam as quatro linhas. Polêmicas políticas resultaram em prisões, afastamentos e desolação da torcida com a equipe verde e amarela. O 7 a 1 na Copa do Mundo de 2014, sediada no Brasil, foi o estopim de toda esta situação.



Porém, a chegada de Tite à Seleção trouxe novas esperanças aos torcedores. Apesar da eliminação na Copa de 2018 nas quartas-de-final, a manutenção do treinador no comando técnico demonstra maturidade na Confederação que, nos últimos anos, foi a que mais trocou de técnicos entre as principais seleções.



Jejuns de títulos desde o início da Copa do Mundo (1930)

Início da Copa (1930)-1958 (28 anos)
1970-1994 (24 anos)
2002- (>2018...) (+20 anos)

Seleções com mais títulos (por edição de Mundial)


1930 -1934 - Uruguai (1 e 2)
1938 - 1958 - Itália (2)
1958-1970 - Brasil e Itália (2)
1970-1982 - Brasil (3)
1982-1990 - Brasil e Itália (3)
1990 - 1994 - Brasil, Itália e Alemanha (3)
+1994 - Brasil (4 e 5)

Equipes campeãs mundiais (por número de títulos)


Brasil (5)
Alemanha e Itália (4)
Argentina, Uruguai e França (2)
Inglaterra e Espanha (1)

Leia Também



Comentários

Posts mais acessados

Álbum de Figurinhas da Euro 2016 é lançado pela Panini

A poucos meses do início de mais um campeonato europeu de seleções, a Panini, em parceria com a UEFA, lança o álbum oficial da competição. A coleção traz todos os detalhes do torneio que será disputado na França e conta com todas as equipes participantes. São 680 figurinhas, distribuídas pelas 96 páginas, que contam história da competição, dos estádios e das 24 seleções participantes.

A Panini é a líder mundial de produtos colecionáveis. Criada na Itália, a editora chega a muitos países sendo a responsável, inclusive, pelas principais coleções esportivas, como Copa do Mundo e torneios FIFA, Olimpíadas, e campeonatos nacionais, como o Brasileirão, além das revistas oficiais de clubes. A Euro 2016 será a décima a ter álbum lançado pela Panini.



Em relação as últimas coleções, a de 2016 chega com algumas novidades. A primeira e mais evidente é a de número de participantes, que será disputada com 24 equipes (até a última edição, o número era 16). São dedicadas duas páginas inteiras para c…

Fruto da mercantilização dos Jogos, mascotes são destaques

Uma Olimpíada é marcada por muitos símbolos. Desde que os Jogos conquistaram grande visibilidade mundial, foram instituídos algumas características em cada edição para justamente haver uma identificação única de cada disputa.
Nas Olimpíadas, as mascotes são marcas registradas das edições. Adotada pela primeira vez em uma competição de Inverno (em Grenoble, na França, em 1968). Nos Jogos de Verão, o primeiro foi em 1972, nos Jogos de Munique. Em Copas do Mundo, o primeiro foi em 1966. na Inglaterra.
A mascote mais lembrada das Olimpíadas, sem dúvida alguma, é o ursinho Mischa, que representou os Jogos de 1980, nas disputas em Moscou. Na cerimônia de encerramento, a imagem formada pelo público nas arquibancadas derramou uma lágrima da mascote, emocionando a todos e sendo marcada para sempre.  
Para 2016, a mascote dos Jogos Olímpicos é Vinícius, que homenageia um dos grandes nomes brasileiros de todos os tempos, que é Vinícius de Moraes.  A mascote é inspirada na fauna brasileira. 


Há…

7 Livros sobre Futebol no Google Play (4 deles, de graça!)

A tecnologia como parte da nossa vida é uma realidade. Mudamos nossos hábitos e adquirimos novos costumes. O principal deles referente aos nossos hobbies, como, por exemplo, ler. Há quem ainda prefira (e me incluo entre eles) ter o livro físico e guardá-lo como um troféu na estante (tenho alguns bem legais aqui), mas é bem verdade que os ebooks são bem mais práticos e, em alguns casos, seus preços saem mais em conta.
As melhores frases do esporte — #OAlanbrado
Para quem ainda não conhece os livros digitais (ou não teve a oportunidade de encontrar algo legal para ler), #OAlanbrado reúne uma seleção de livros baratos — e alguns de graça — sobre futebol que são extremamente interessantes e que podem ser encontrados no Google Play. Claro, existem muitos outros livros (e em outras lojas virtuais), mas é bom para, pelo menos, começar a leitura por estes bons títulos.


A COPA COMO ELA É: A HISTÓRIA DE DEZ ANOS DE PREPARAÇÃO PARA A COPA DE 2014
Correspondente internacional, Jamil Chade é um do…